Quem é Alexandre Penasse?


Alexandre Penasse, jornalista belga, é o fundador e editor-chefe do quinzenal "Kairos", uma mídia militante, jornal de papel e webmedia belga de língua francesa. Por mais de 9 anos, ele vem tentando, com seus pequenos meios, fazer jornalismo de qualidade para permitir informações livres e autênticas, para fazer o jornalismo viver, e para questionar, duvidar, e levar os problemas às suas raízes. Este bom samaritano é um dos poucos atores na Bélgica a se aventurar no campo da crítica da mídia.

"Kairos é apenas um órgão independente que faz as perguntas que nos incomodam"!


Mas os poderes não gostam disso; eles tentam impedir que a população ouça essa voz discordante. Portanto, Penasse e Kairos não têm uma boa corrente dominante e imprensa policial. Como qualquer mídia ofensiva e verdadeiramente independente ou jornalista para esse fim....

"Deve-se lembrar que, desde o início da era Covid, Kairos não é o único a ter sido censurado. Quem fala diferente do discurso oficial dos políticos e especialistas é censurado!

Durante as conferências de imprensa, Alexandre acha muito difícil fazer suas perguntas. Mas apesar da censura e dos obstáculos colocados no seu caminho pelas autoridades, ele não desiste! Por exemplo, todos os cientistas nos dizem que as vacinas são a solução, mas Penasse gostaria de ver um debate democrático sobre o assunto.

"Queremos apenas fazer valer nossos direitos e fazer as perguntas que infelizmente outros não fazem". Porque hoje, fazer uma pergunta normal ao poder político é apresentado como uma conquista.

Em sua luta contra a propaganda da mídia sobre o covid e a ascensão do totalitarismo nos países ocidentais, ele foi censurado pelo Comitê de Concertação e seus ministros belgas: não mais conferências ao vivo na TV e não mais perguntas, exceto para a grande mídia.

"Fomos tão longe na desinformação e 'na sociedade do espetáculo' que quando você faz uma pergunta normal, ela é apresentada como uma conquista ou algo fantástico... em contraste, porque tudo o resto é uma porcaria, de fato.

De fato, na Bélgica, como em todas as novas ditaduras, a censura atinge os jornalistas que fazem as perguntas certas. Fazer as perguntas certas se tornou um esporte de combate, mas Alexandre, o elétron livre, continua a informar, apesar dos obstáculos.

"A liberdade de imprensa é garantida pelo artigo 25 da Constituição belga". E ela só se desgasta quando não é usada".

Juntamente com a organização sem fins lucrativos le Grappe, Kairos publicou um livro escrito pelo coletivo de autores da Elaïa: "Covid-19: par-delà la censure" (Covid-19: além da censura):


Alexandre também aparece em "Ceci n'est pas un complot" (Isto não é uma conspiração), um filme de Bernard Crutzen sobre o tratamento da crise pela mídia belga de língua francesa. Sobre como a mídia conta a história de Covid, o que eles dizem, como eles dizem, e o que eles não dizem. Com um foco especial na noção de "conspiração". Veja o vídeo no final do post.

Uma das grandes ações da Kairos foi apresentar uma queixa contra o Google. Quando perguntado se foi corajoso ou tolo assumir um dos pilares do GAFAM (Google-Apple-Facebook-Amazon-Microsoft), Penasse rejeita qualquer forma de medo.

"Sim, este procedimento é simbólico, mas se ganharmos, em termos de jurisprudência, é enorme! Sim, é arriscado, mas não devemos mais ter medo. Temos que parar de pensar em nós mesmos como pequenos. Não é mais o caso de sermos nós os pequenos! E financeiramente, seremos ajudados: em uma noite, arrecadamos mais de 5.000 euros em doações! É um pouco triste dar dinheiro para isso, mas, ao mesmo tempo, é justiça e ainda temos que acreditar um pouco nisso. Mesmo que seja difícil".

A idéia é debater o fato de que os atores privados se estabeleceram como detentores da palavra pública, por exemplo, sobre a função política da mídia dominante.

De fato, longe de ser um "quarto poder", suposto de criticar e perturbar os outros três (Legislativo, Executivo e Judiciário), a maioria dos meios de comunicação atua como retransmissão para os políticos, com uma enorme capacidade de influência graças a seu monopólio de representação da realidade.

O jornalista explica:

"É a questão central da manutenção do direito à livre expressão em nossas sociedades democráticas e à 'censura privada' que estará no centro deste debate judicial".

Para ele, a questão central do julgamento é convencer o Tribunal de que as plataformas de redes sociais não podem mais se esconder atrás de suas disposições contratuais, mas devem se submeter à lei da terra, particularmente no que diz respeito à liberdade de expressão.

Ele explica que na grande imprensa também há jornalistas que sofrem, que realmente querem fazer seu trabalho, mas precisam de alimento ou estão em profunda dissonância cognitiva (e muitas vezes ambos) para acabar aceitando compromissos e condições de trabalho deploráveis no dia-a-dia.

Ele argumenta que, portanto, é importante olhar para o futuro de maneira diferente, para sair do ciclo devastador de crescimento, que nunca mais voltará e que, aliás, já causou danos suficientes e demonstrou seu absurdo.

"Só podemos sair da sociedade do 'sempre mais' que se alimenta da miséria e da destruição de nosso ecossistema".

Muitos de nós descobrimos o Kairos em abril de 2020, quando Alexander perturbou o show do governo em uma das coletivas de imprensa do Conselho Nacional de Segurança. Ele foi o primeiro a falar e trouxe à tona os laços entre os especialistas e as multinacionais. Ele ousou realmente fazer uma pergunta real à primeira-ministra Sophie Wilmès: "Que legitimidade democrática existe para tomar estas decisões quando a maioria dos membros que decidem e pensam que fazem parte das multinacionais e das finanças?

Ele teve a audácia de colocar o pé no chão para evitar qualquer conflito de interesses nas decisões políticas, especialmente em uma situação de crise como a que estamos vivendo, onde essas decisões envolvem a vida de milhares de pessoas.

Mas ele foi diretamente censurado... O que aconteceu é uma ameaça real à liberdade de imprensa: não só o Primeiro Ministro tentou interromper a pergunta do jornalista sem lhe dar uma resposta satisfatória, mas Alexandre também foi impedido de fazer uma segunda pergunta e seu microfone foi deliberadamente cortado. Quando, por uma vez, um jornalista decide fazer uma pergunta que requer um pouco mais de esforço do que repetir o discurso institucional, quando, por uma vez, alguém finalmente exige que os cidadãos belgas sejam responsabilizados, este jornalista é censurado, da maneira mais dissimulada possível, uma vez que seu microfone é simplesmente cortado.

Seu crime foi o de ter questionado a legitimidade democrática das decisões tomadas pelo governo em tempos de "poderes especiais" e contenção. Desde então, as redes sociais têm especulado sobre os motivos deste 'OVNI jornalístico' que divulgou vários temores colocados pela gestão política ineficaz e catastrófica desta crise de 'saúde'. Kairos é agora acusada de ser uma mídia que beira a conspiração e a falsificação de notícias.

Desta vez diz muito sobre o papel dos meios de comunicação de massa. Algumas pessoas estão descobrindo como isso funciona agora, mas o problema é estrutural. A maioria da mídia é propriedade de famílias ricas que não querem ver o bem comum triunfar. Eles defendem seus interesses privados, propagam seus valores e censuram qualquer coisa que se oponha a eles.

Isto nos mostra o que é essencial: a falta de respeito do governo pela democracia em tempos de crise e o papel da mídia na perpetuação de um sistema falacioso que leva os cidadãos a consentirem cegamente com as decisões políticas. E a sofrer as conseqüências.

A mudança virá da mídia livre. A Kairos está contribuindo para isso. Mas sem nós, eles não conseguirão nada. Devemos apoiá-los, para que possam expandir sua equipe, fazer mais investigações, entrevistas e reportagens de qualidade.

Alguns de seus vídeos mais importantes:

https://odysee.com/@Bezuhov:6/361921977_Ceci-n’est-pas-un-complot-Bernard-Crutzen-06-02-21:3

https://odysee.com/@EddyM:0/grand-d%C3%A9bat:c

https://odysee.com/@Kairospresse:0/affaire-kairos-contre-youtube-sortie-du:6

https://odysee.com/@Jean-Jacques-Crevecoeur:f/IFQ54:6

https://odysee.com/@Chloe_F:b/infoenquestions54:d

https://odysee.com/@Dualit%C3%A9Universelle:1/BELGIQUE—Kairos-presse-toujours-censur%C3%A9-par-les-ministres:e

https://odysee.com/@foracleanworld:a/Faut-quon-parle-Kairos-Alexandre-Penasse-1-Share:a9