A Grande Purga do Novo Normal?


Então, a Grande Nova Purga Normal começou... bem na hora certa, bem pelos números.

Propaganda demonizando "os não vacinados".

Como nós, "teóricos da conspiração paranóica", temos advertido nos últimos 18 meses, pessoas que se recusam a se converter à nova ideologia oficial estão agora sendo segregadas, destituídas de seus empregos, proibidas de freqüentar escolas, negados tratamentos médicos e, de outra forma, perseguidas. Leia aqui.

A propaganda oficial incansável que demoniza "os Não Vacinados" está sendo divulgada pela mídia corporativa e estatal, líderes governamentais, oficiais de saúde e fanáticos gritantes das mídias sociais. Os "Não Vacinados" são os novos "Untermenschen" oficiais, uma subclasse de "outros" sub-humanos que as Novas Massas Normais estão sendo condicionadas ao ódio.

 

Você pode ver o ódio nos olhos dos Novos Normais...

Mas não é apenas uma purga de "os Não Vacinados". Qualquer pessoa que se desvie da ideologia oficial está sendo sistematicamente demonizada e perseguida. Na Alemanha, Austrália e outros países do Novo Normal, protestar contra o Novo Normal é oficialmente proscrito. A Nova Normal Gestapo está indo às casas das pessoas para interrogá-las sobre seus posts anti-Nova Normal no Facebook. As corporações estão censurando abertamente o conteúdo que contradiz a narrativa oficial. Novos esquadrões de capangas normais perambulam pelas ruas, verificando os documentos de "vacinação" das pessoas.

 

Nova "Realidade" oficial

E não são apenas governos e corporações que realizam a Nova Purga Normal. Os amigos estão purgando os amigos. As esposas estão purificando os maridos. Os pais estão purgando os filhos. Os filhos estão purgando os pais. Os Novos Normais estão purgando os velhos pensamentos normais. As "autoridades de saúde" globais estão revisando as definições para torná-las compatíveis com a Nova "ciência" Normal.

E assim por diante... uma nova "realidade" oficial está sendo fabricada, bem diante de nossos olhos. Qualquer coisa e qualquer pessoa que não esteja em conformidade com ela está sendo purgada, despersonalizada, memorizada, apagada.

Nada disso deveria ser uma surpresa.

Todo sistema totalitário nascente, em algum estágio de sua tomada de controle da sociedade, lança uma purga de opositores políticos, dissidentes ideológicos e outros "desvios anti-sociais". Tais purgas podem ser breves ou abertas, e podem assumir qualquer número de formas externas, dependendo do tipo de sistema totalitário, mas não se pode ter totalitarismo sem elas.

A essência do totalitarismo - independentemente dos trajes e ideologia que usa - é o desejo de controlar completamente a sociedade, cada aspecto da sociedade, cada comportamento e pensamento individual. Cada sistema totalitário, seja uma nação inteira, um pequeno culto, ou qualquer outra forma de corpo social, evolui em direção a este objetivo inalcançável ... a total transformação ideológica e controle de cada elemento da sociedade (ou qualquer tipo de corpo social que ela compreenda). Esta busca fanática do controle total, da absoluta uniformidade ideológica e da eliminação de toda dissidência, é o que torna o totalitarismo totalitário.

Assim, cada novo sistema totalitário, em algum momento de sua evolução, precisa lançar uma purgação daqueles que se recusam a se conformar com sua ideologia oficial. Ele precisa fazer isso por duas razões básicas:

  • Segregar ou eliminar opositores políticos e dissidentes reais que representam uma ameaça para o novo regime.
  • E mais importante, estabelecer o território ideológico dentro do qual as massas devem agora se confinar a fim de evitar serem segregadas ou eliminadas.

A purga deve ser realizada de forma aberta, brutal, para que as massas entendam que as regras da sociedade mudaram, para sempre, que seus direitos e liberdades anteriores desapareceram, e que de agora em diante qualquer tipo de resistência ou desvio da ideologia oficial não será tolerada, e será punida impiedosamente.

O medo das massas é transformado em ódio

A purga é geralmente lançada durante um "estado de emergência", sob ameaça iminente de algum "inimigo" oficial (por exemplo, "infiltrados comunistas", "contra-revolucionários", ou ... você sabe, uma "pandemia devastadora"), de tal forma que as regras normais da sociedade podem ser suspensas indefinidamente "por uma questão de sobrevivência". Quanto mais aterrorizadas as massas puderem ser feitas, mais dispostas estarão a renunciar à liberdade e seguir ordens, por mais loucas que sejam.

A força vital do totalitarismo é o medo... medo tanto do inimigo oficial do sistema (que é constantemente alimentado com propaganda) quanto do próprio sistema totalitário. Que a brutalidade do sistema seja racionalizada pela ameaça colocada pelo inimigo oficial não o torna menos brutal ou aterrorizante. Sob sistemas totalitários (de qualquer tipo ou escala) o medo é uma constante e não há como fugir dele.

O medo das massas é então canalizado para o ódio ... ódio ao oficial "Untermenschen", a quem o sistema encoraja as massas a bode expiatório. Assim, a purga é também um meio de permitir que as massas se purguem de seu medo, para transformá-lo em ódio a si mesmas e libertá-lo no "Untermenschen" em vez do sistema totalitário, que, obviamente, seria suicida.

Todo sistema totalitário - tanto os indivíduos que o dirigem quanto o sistema, estruturalmente - compreende instintivamente como tudo isso funciona. O novo totalitarismo normal não é exceção.

Basta refletir sobre o que aconteceu ao longo dos últimos 18 meses.

Dia após dia, mês após mês, as massas têm sido submetidas à campanha psicoterrorista mais destrutiva da história do terror psicológico. Infelizmente, muitos deles foram reduzidos a paranóicos, inválidos anormais, com medo do exterior, do contato humano, com medo de seus próprios filhos, com medo do ar, morbidamente obcecados pela doença e pela morte... e consumidos com ódio aos "não vacinados".

Seu ódio, naturalmente, é totalmente irracional, produto do medo e da propaganda, como sempre é o ódio aos "Untermenschen". Não tem absolutamente nada a ver com um vírus, que até as autoridades do Novo Normal admitem. Os "Não Vacinados" não são mais uma ameaça para ninguém do que qualquer outro ser humano ... exceto na medida em que ameaçam a crença dos Novos Normais em sua ideologia ilusória.

Totalitarismo capitalista global

Não, já superamos a racionalidade neste ponto. Estamos testemunhando o nascimento de uma nova forma de totalitarismo. Não "comunismo". Não "fascismo". Totalitarismo global-capitalista. Pseudo- totalitarismo médico. Totalitarismo patologizado. Uma forma de totalitarismo sem ditador, sem uma ideologia definível. Um totalitarismo baseado na "ciência", no "fato", na "realidade", que ele mesmo cria.

Eu não sei quanto a você, mas, até agora, certamente causou uma grande impressão em mim. Tanto que, na maior parte das vezes, deixei de lado o meu palhaço satírico para tentar entendê-lo... o que realmente é, por que está acontecendo, por que está acontecendo agora, para onde está indo e como se opor a ele, ou pelo menos perturbá-lo.

Do meu ponto de vista, os próximos seis meses determinarão o sucesso das etapas iniciais da implantação deste novo totalitarismo. Em abril de 2022, ou estaremos todos mostrando nossos "papéis" à Nova Gestapo Normal para poder ganhar a vida, freqüentar uma escola, jantar em um restaurante, viajar, e de outra forma viver nossas vidas, ou teremos jogado uma chave inglesa na máquina. Não espero que a GloboCap abandone o lançamento do Novo Normal a longo prazo - eles estão claramente comprometidos em implementá-lo - mas temos o poder de arruinar seu ato de abertura (que eles vêm planejando e ensaiando há bastante tempo).

Então, vamos em frente e façamos isso, certo? Antes de sermos purgados, ou não, ou o que quer que seja. Não tenho certeza, pois ainda não vi uma "checagem de fatos", mas acredito que há alguns pilotos de linhas aéreas comerciais nos EUA que estão nos mostrando o caminho.