A Lei de Vacinação Forçada na Dinamarca foi abandonada após os protestos públicos?


Uma lei na Dinamarca que teria dado às autoridades o poder de injetar à força pessoas com uma vacina contra o coronavírus coronavírus foi abandonada após nove dias de protestos públicos.

A "lei da epidemia" teria dado ao governo dinamarquês o poder de decretar medidas de quarentena obrigatórias contra qualquer pessoa infectada por uma doença perigosa, mas foi a parte sobre as vacinas que causou o maior tumulto.

Captura de tela de twitter.com
——————————–
"A Autoridade Sanitária Dinamarquesa seria capaz de definir grupos de pessoas que devem ser vacinadas a fim de conter e eliminar uma doença perigosa", relata o Local.

"As pessoas que recusam o acima exposto podem - em algumas situações - ser coagidas através de detenção física, com a polícia autorizada a ajudar".

Entretanto, após nove dias seguidos de protestos contra a nova lei, ela agora foi desmantelada.

Captura de tela de twitter.com

Com uma vacina contra o coronavírus à vista, os governos de todo o mundo estão refletindo sobre as medidas punitivas a serem tomadas contra aqueles que se recusam a tomá-la.

Na semana passada, destacamos como tanto o Ticketmaster quanto as companhias aéreas estão considerando proibir as pessoas de entrar em locais e voar se não puderem provar que tomaram a vacina. Leia aqui.

Assim, embora os protestos públicos possam ser capazes de impedir que as autoridades executem vacinações forçadas, as pessoas que se recusam a tomar a vacina podem achar praticamente impossível desfrutar de qualquer tipo de vida social, usar o transporte público ou até mesmo encontrar emprego.