Os líderes da UE querem uma governança global da saúde?


Os Chefes de Estado e de Governo da UE realizaram ontem uma reunião do Conselho, cujas conclusões valem seu peso em ouro. Em particular, com relação à luta contra o HIV e as pandemias em geral, nossos líderes propõem ceder seus poderes a uma agência européia e à OMS, que decidiria então onipotentemente sobre as medidas a serem aplicadas em território nacional. Este projeto assustador já foi assumido politicamente de forma bastante oficial.

Líderes Europeus Contra a Soberania

Sobre o tema Pandemias, o Conselho, portanto, tira as seguintes conclusões

1. Foram feitos progressos significativos na luta contra o COVID-19 através de campanhas de vacinação em toda a Europa. No entanto, a situação em alguns Estados-Membros continua sendo motivo de grande preocupação. Para aumentar ainda mais as taxas de vacinação em toda a UE, os esforços para superar a desconfiança em relação às vacinas devem ser intensificados, inclusive abordando a desinformação, especialmente nas plataformas de mídia social. É necessária vigilância com relação ao surgimento e disseminação de novas variantes potenciais.

2. Tendo em vista a evolução da situação da doença, o Conselho Europeu solicita uma maior coordenação para facilitar a circulação dentro e dentro da UE e uma revisão das duas recomendações do Conselho. Ele encoraja a Comissão a acelerar seu trabalho de reconhecimento mútuo de certificados com países terceiros.

3. Com base na experiência da crise do COVID 19, a resiliência da UE e a preparação para crises horizontais precisam ser reforçadas. Para garantir melhor prevenção, preparação e resposta a futuras emergências de saúde pública na UE, o Conselho Europeu solicita a finalização das negociações sobre o pacote legislativo da União da Saúde e o envolvimento adequado dos Estados Membros na governança da Agência de Resposta e Preparação para Emergências da Saúde (HERA). Ele lembra a necessidade de um rápido progresso no acesso aos medicamentos em todos os Estados Membros.

4 O Conselho Europeu reafirma o compromisso contínuo da UE de contribuir para a resposta internacional à pandemia e de garantir o acesso de todos às vacinas. Apela para a rápida remoção das barreiras para a introdução global de vacinas e incentiva a Comissão a continuar seu diálogo direto com os fabricantes a este respeito. Isto permitirá aos Estados-Membros acelerar a entrega de vacinas aos países que mais necessitam delas. A UE continuará a apoiar a produção de vacinas e a vacinação nos países parceiros.

5. No contexto da próxima reunião do G20 e tendo em vista a sessão especial da Assembléia Mundial da Saúde em novembro, o Conselho Europeu sublinha seu apoio a um papel forte e central da Organização Mundial da Saúde na futura governança mundial da saúde e apóia o objetivo de se chegar a um acordo sobre um tratado internacional sobre pandemias.

 

Aqui encontramos os principais objetivos repetidos dia após dia pela casta globalizada que puxa os cordelinhos na União:

  • "Para aumentar ainda mais as taxas de vacinação"
  • "Para superar a desconfiança combatendo a desinformação nas redes sociais
  • "Coordenação para facilitar a livre circulação" (que em linguagem diplomática significa passaporte de saúde)
  • "Ação legislativa sobre o sindicato da saúde
  • "Acesso a medicamentos em todos os estados membros
  • "Acesso a vacinas para todos
  • "Um papel forte e central para a OMS na futura governança da saúde global
  • "Tratado internacional sobre pandemias".

Esta lista mostra até que ponto os governos europeus concordaram em um "mainstream" comum sobre pandemias, usando a mesma linguagem em cada estágio do foguete multilateral.

O Conselho Europeu também será lembrado pela preparação da reunião do G20, onde a questão pandêmica será levantada. Estamos aqui nas águas do mais puro multilateralismo.

Rumo à Governança da Saúde Global

Este texto expressa uma preocupação e um desejo.

Existe a preocupação de que a Health Emergency Response and Preparedness Authority (HERA) seja criada a nível europeu sem nenhuma consulta real. Por esta razão, os líderes europeus estão pedindo uma maior participação neste projeto, que já mencionamos.

Observamos, antes de mais nada, que os líderes europeus estão conversando com a OMS sobre a preparação da "futura governança global da saúde". Não tínhamos ouvido falar deste projeto entre nós, e o descobrimos sem que ele tivesse sido discutido por ninguém.

Um Grande Reposicionamento da Saúde está em andamento

Basicamente, somente lendo as conclusões dos Conselhos Europeus se pode entender o que está sendo planejado no misterioso mundo do multilateralismo. A idéia predominante é transformar a Organização Mundial da Saúde em uma estrutura de governança global para pandemias. A OMS decidiria então tudo: Vacinas, tratamentos, resposta a emergências.

Tal transferência de soberania, naturalmente, não é explicada nem discutida com os povos da União. A decisão já foi tomada, agora só precisa ser implementada. Assim, a pandemia servirá também para privar os povos de seus direitos e favorecer a emergência de uma casta multilateral todo-poderosa.

A democracia sem dúvida se beneficiaria de uma explicação clara desta abordagem.