Cybercontrol: A Covid levou a Elite Davosiana para o próximo passo?


Depois do passaporte de saúde, por que não um controle de identidade digital? O ensaísta Modeste Schwartz conversa com Rachel Marsden sobre as possíveis semelhanças entre as crises de saúde e de TI.

Colapso maciço das grandes redes sociais

No início de outubro, houve um colapso maciço das principais redes sociais e serviços de mensagens.

A maioria dos especialistas em cibersegurança acredita que a falha foi causada por um bug em uma atualização dos servidores do Facebook. Mas seja qual for o problema, o resultado final é que a reação do público acabou de provar que muitas pessoas estariam dispostas a abrir mão de sua privacidade em favor de um acesso seguro às suas plataformas favoritas.

O fato de muitos usuários desses serviços estarem reclamando no Twitter fornece aos governos um argumento para mais controle e regulamentação para garantir a continuidade desses serviços.

Interesse em Controle de Identidade

Mas quão grande é o risco de que tal cenário ocorra de fato? Modeste Schwartz, autor de Le Magicien de Davos (Cultura e Racines), acredita que o interesse no controle de identidade data de vários anos atrás:

A questão da identidade digital está em preparação em Davos e no Vale do Silício há pelo menos uma década, se não mais.

Não é difícil ver como o passaporte de saúde, com seu código QR ligado à identidade do titular, que supostamente proporcionaria uma sensação de segurança diante do vírus corona, poderia ser adaptado à identificação digital sob o pretexto de proteger a Internet e seus diversos serviços.

Para esta elite de Davos, acostumada a se apresentar como reformista, lenta e orientada ao consenso, a operação Covid abriu a possibilidade de mudar de marcha", observa Modeste Schwartz.

Vale lembrar que nos últimos dois anos, o Fórum Econômico Mundial tem organizado simulações de um grande apagão na Internet conhecido como "Cyber Polygon".

O fundador e CEO do grupo, Klaus Schwab, declarou em 8 de julho de 2020, que "a crise do Covid 19 é uma pequena perturbação em comparação com um grande ataque cibernético". Para ele, a crise de saúde é "um alerta oportuno para a comunidade de segurança cibernética para se preparar para uma potencial ciberpandemia".

A reputação profética de Klaus Schwab foi muito reforçada pelo sucesso de sua "Operação Covid". Se isso foi bem sucedido, por que não o Covid digital?"