Existem alegações sérias contra um fornecedor da Pfizer?


Um subempreiteiro da empresa farmacêutica é acusado de cometer múltiplas violações durante os ensaios clínicos da vacina contra o coronavírus da Pfizer.

Covid-19 Vacina Encontrada Para Ter Numerosas Falhas

A Pfizer foi duramente atingida. Um de seus subcontratados, um laboratório, enfrenta sérias alegações de cometer inúmeros erros durante os ensaios clínicos da vacina Covid-19 desenvolvida pelo grupo norte-americano. Estas alegações são feitas por um antigo funcionário, de acordo com um artigo publicado na terça-feira, 2 de novembro, no British Medical Journal.

O artigo alega que o subcontratado, Grupo Ventavia com sede no Texas, especializado na realização de ensaios clínicos e que foi contratado pela Pfizer no ano passado para avaliar a eficácia de sua vacina, "dados falsificados" e também "efeitos colaterais de monitoramento atrasado".

Ventavia desempenhou apenas um pequeno papel nos ensaios da vacina, que a Pfizer desenvolveu com a BioNTech, sediada na Alemanha. A empresa do Texas realizou testes em cerca de 1.000 pessoas, enquanto a vacina foi estudada em um total de cerca de 44.000 pessoas em todo o mundo.

Estes ensaios, que mostraram uma eficácia particularmente elevada, levaram à aprovação da vacina em muitos países, incluindo os Estados Unidos e a União Européia.

A principal fonte do artigo da BMJ é um ex-funcionário da Ventavia, Brook Jackson, que trabalhou lá durante quatorze dias durante os testes de vacina da Pfizer/BioNTech antes de ser demitido. Ela diz ter vivido muitos fracassos. Entre outras coisas, ela acusa Ventavia de interferir com a alocação duplamente cega da vacina através de inconsistências na rotulagem.

Nenhum comentário do FDA ou da Pfizer

Este processo é essencial para avaliar a eficácia de um tratamento em comparação com um placebo. Isto garante que nem os pacientes nem os cuidadores saibam se é um ou outro tratamento. Brook Jackson cita outras deficiências, como as vacinas que não estão sendo armazenadas na temperatura correta, e diz que as relatou à Administração de Alimentos e Drogas dos EUA, que anotou seu relatório, mas não deu seguimento.

A FDA recusou-se a comentar o caso, mas assegurou o relatório de sua "total confiança nos dados que levaram à aprovação da vacina Pfizer/BioNTech". De acordo com outra fonte anônima citada pela BMJ, a Pfizer iniciou uma revisão da Ventavia depois que a empresa foi informada de "problemas" com a condução dos ensaios. Nem a Pfizer nem a Ventavia responderam imediatamente às perguntas da AFP.